Blogger Backgrounds

domingo, 18 de julho de 2010

ATÉ QUANDO?

Até quando vamos assistir homens agredindo mulheres?

Até quando vamos nos calar vendo homens humilhando mulheres?

Até quando vamos ver mães criando filhos machistas que, futuramente serão agressores de mulheres, até da própria mãe?

Até quando vamos saber de mulheres que denunciaram companheiros, pais, irmãos, namorados e que nada foi feito?


Até quando vamos ver mulheres aterrorizadas, com medo de voltar para casa por saber que lá as espera a dor, a agressão (física e verbal), a humilhação?

Até quando? Até quando?

2 comentários:

Ariste Thurler disse...

Vou lhe dizer "até quando...", até sempre, e cada vez mais. Os homens ~muitas vezes não respeitam as mulheres que escolheram para serem suas compaheiras, mesmo porque muitas veses escolheram por conveniência e não por amor. É um círculo vicioso o ESPANCAR os filhos, os que o fazem hoje, foram espancados por seus pais, que o foram pelos deles e assim por diante...Até que uma luz interrompa esta sequência temporal de violência.
Há mais...as pesssoas qie de alguma forma estão "protegidas" por uma máquina - como os automóveis, caminhões pesados, etc., respeitam os que estão "desarmados" , os pedestres? Não "jogam" suas máquinas sobre eles, todos-poderosos em suas armaduras?
Assim são também os covardes que espancam mulheres e crianças...são mais fortes, evidentemente, e quase sempre detêm o PODER: são eles que sustentam a casa, são os que podem mandar o desmandar ("quem não gostarm que peçam esmola").
Meu avô espancava meu pai e minha avó, EU ESPANQUEI MINHA MULHER E MEU FILHO...até que depois de perdê-los compreendi (com a graça de Deus) o,quanto eu era COVARDE! Eu não saberia, nem teria coragem de enfrentar um HOMEM e tentar espancá-lo.
Aqui vai meu testemunho. Não saí dessa sem ajuda: Foi Deus, depois de ficar doente e miserável, quem me abriu o coração e restaurou minha alma.
Hoje meu filho tem 28 anos, e minha ex-mulher foi morar na África. Meu filho vive nos EEUUA (onde morei por cinco anos) e eu vivo sozinho com minha mãe. Assumi voto de castidade espontâneo, e vivo muito feliz. Tenho muitos amigos e tenho uma vida de paz, de trabalho e oração.
Eu fui "resgatado" como a "ovelha perdida", mas quantos chegarão à velhice mantendo o hábito da violência e tirania?
Espero ter contribuido para aqueles que usam violência contra o próximo e leiam este depoimento.
Olhe para você mesmo, seu "poder", tirania e violência contra os seus e seu próximo que está em situação "inferior" a você. Tente rezar, pedir a Deus que transforme seu coração para ser semelhante ao dEle.
LUZ e PAZ,
Ariste Thurler

Visite o site www.psiqueslides.com.br , onde encontrará vários poemas e textos muito bonitos e edificantes, inclusive religiosos e CONTRA O ABORTO.

Ariste Thurler disse...

Vou lhe dizer "até quando...", até sempre, e cada vez mais. Os homens ~muitas vezes não respeitam as mulheres que escolheram para serem suas compaheiras, mesmo porque muitas veses escolheram por conveniência e não por amor. É um círculo vicioso o ESPANCAR os filhos, os que o fazem hoje, foram espancados por seus pais, que o foram pelos deles e assim por diante...Até que uma luz interrompa esta sequência temporal de violência.
Há mais...as pesssoas qie de alguma forma estão "protegidas" por uma máquina - como os automóveis, caminhões pesados, etc., respeitam os que estão "desarmados" , os pedestres? Não "jogam" suas máquinas sobre eles, todos-poderosos em suas armaduras?
Assim são também os covardes que espancam mulheres e crianças...são mais fortes, evidentemente, e quase sempre detêm o PODER: são eles que sustentam a casa, são os que podem mandar o desmandar ("quem não gostarm que peçam esmola").
Meu avô espancava meu pai e minha avó, EU ESPANQUEI MINHA MULHER E MEU FILHO...até que depois de perdê-los compreendi (com a graça de Deus) o,quanto eu era COVARDE! Eu não saberia, nem teria coragem de enfrentar um HOMEM e tentar espancá-lo.
Aqui vai meu testemunho. Não saí dessa sem ajuda: Foi Deus, depois de ficar doente e miserável, quem me abriu o coração e restaurou minha alma.
Hoje meu filho tem 28 anos, e minha ex-mulher foi morar na África. Meu filho vive nos EEUUA (onde morei por cinco anos) e eu vivo sozinho com minha mãe. Assumi voto de castidade espontâneo, e vivo muito feliz. Tenho muitos amigos e tenho uma vida de paz, de trabalho e oração.
Eu fui "resgatado" como a "ovelha perdida", mas quantos chegarão à velhice mantendo o hábito da violência e tirania?
Espero ter contribuido para aqueles que usam violência contra o próximo e leiam este depoimento.
Olhe para você mesmo, seu "poder", tirania e violência contra os seus e seu próximo que está em situação "inferior" a você. Tente rezar, pedir a Deus que transforme seu coração para ser semelhante ao dEle.
LUZ e PAZ,
Ariste Thurler

Visite o site www.psiqueslides.com.br , onde encontrará vários poemas e textos muito bonitos e edificantes, inclusive religiosos e CONTRA O ABORTO.