Blogger Backgrounds

quinta-feira, 30 de junho de 2011



um bom poema leva anos
cinco jogando bola,
mais cinco estudando sânscrito,
seis carregando pedra,
nove namorando a vizinha,
...sete levando porrada,
quatro andando sozinho,
três mudando de cidade,
dez trocando de assunto,
uma eternidade,
eu e você, caminhando junto.


(Paulo Leminski)




[Korea's Got Talent] Sung-bong Choi - Legendado

quarta-feira, 29 de junho de 2011

“Muitos não puderam quando deviam
porque não quiseram quando podiam.”

(Francois Rebelais)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O CÂNTICO DA TERRA


Eu sou a terra, eu sou a vida.
Do meu barro primeiro veio o homem.
De mim veio a mulher e veio o amor.
Veio a árvore, veio a fonte.
Vem o fruto e vem a flor.

Eu sou a fonte original de toda vida.
Sou o chão que se prende à tua casa.
Sou a telha da coberta de teu lar.
A mina constante de teu poço.
Sou a espiga generosa de teu gado
e certeza tranqüila ao teu esforço.
Sou a razão de tua vida.
De mim vieste pela mão do Criador,
e a mim tu voltarás no fim da lida.
Só em mim acharás descanso e Paz.

Eu sou a grande Mãe Universal.
Tua filha, tua noiva e desposada.
A mulher e o ventre que fecundas.
Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor.

A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu.
Teu arado, tua foice, teu machado.
O berço pequenino de teu filho.
O algodão de tua veste
e o pão de tua casa.

E um dia bem distante
a mim tu voltarás.
E no canteiro materno de meu seio
tranquilo dormirás.

Plantemos a roça.
Lavremos a gleba.
Cuidemos do ninho,
do gado e da tulha.
Fartura teremos
e donos de sítio
felizes seremos.

(Cora Coralina - pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas,
Cidade de Goiás, 20 de agosto de 1889 — Goiânia, 10 de abril de 1985), é a grande poetisa do Estado de Goiás.)


2012 - Uma Mensagem de Esperança

sexta-feira, 17 de junho de 2011

"Mudei-me da casa dos eruditos e bati a porta ao sair.
Por muito tempo, a minha alma assentou-se faminta à sua mesa.
Não sou como eles, treinados a buscar o conhecimento como especialistas em rachar fios de cabelo ao meio.
Amo a liberdade.
Amo o ar sobre a terra fresca.
 É melhor dormir em meio às vacas, que em meio às suas etiquetas..."

Nietzsche

Ariano Suassuna no documentário Quaderna

segunda-feira, 13 de junho de 2011


SANTO CASAMENTERO

Despois que eu fiz um pidido
Pro santo casamentero
Santo Antônio num gostô
Meu amô num é sortero.

Se que é pecado morta
Gostá de home casado
Santo Antônio só ajuda
Com paper legalizado.

Casá de véu e grinarda
Na Igreja da Cunceição
Tem que sê home sortero
Pra tê sua aprovação.

Num dianta ponhá o santo
Virado de pé pro alto
Pode isquecê desse amô
Ele disvira num salto.

Também num dianta fazê,
Aquelas reza e pidido
Tem que sê home sortero,
E muié de um só marido.

Simpatia tem de monte,
Mai num vai adianta não...
Tem que sê home sortero
Pra tê sua aprovação!

Ocê vai querê do santo
Que ele venha a concordá?
Roba o marido da otra?
Nenhum santo vai dexá.

Milagre anssim, desse jeito,
Nenhum santo vai fazê.
Escóie um home sortero
Vai sê mió pra vancê.

Num existe coisa pió
Que vancê se apaixoná...
Gosta de home casado?
Vai sofre e vai chorá.

Despois que ele cunsigui
Tudo aquilo qui quisé
Vai chutá a tua bunda,
Despois vorta pra muié.

(Mírian Warttusch)

terça-feira, 7 de junho de 2011

ACEITA UM DOCINHO?


Seja qual for o seu momento agora, que tal se preparar para uma festa?
Seu trabalho está cada vez mais cansativo e há pouca recompensa?
Faça um docinho.


As dívidas crescem e o dinheiro é pouco?
Faça um saboroso e lindo bolo.
Todo o mundo parece estar contra você?
Faça uma torta cheia de frutas.


A tristeza se avoluma em seu coração?
Acenda todas as luzes!
A solidão bateu à sua porta?
Prepare bons sucos e bebidas.



São grandes os problemas de saúde?
Separe seus melhores discos e deixe-os num lugar de fácil acesso.
A dor é de abandono, de perda de um amor?
Faça uma panelada de suspiros.



Há perdas dolorosas ou ideais derrubados?
Ponha um champagne na geladeira.
Seja qual for o seu momento agora, lá no fundo você sabe que isso também vai passar.
Você sabe que na Vida está o tempo, esse milagroso agente de mudança.



Não se perca aí paralisado, como se este momento fosse eterno.
Erga-se!
Faça pratos deliciosos, prepare beberetes maravilhosos!



Você vai precisar de tudo isso para a festa da sua vitória no final do filme!

Mãos à obra! Esse filme terá fim!

Comece fazendo um docinho!



 (Sílvia Schmidt - Extraído do livro "Sorte é pra quem quer")